28 junho, 2009

Quarto mistério


Quarto mistério

Abaixo de zero
eu rio, sorrio, espero
eu zero
as contas e às tontas
desespero
Abaixo de zero
coração sem contas
terço sem reza
num quarto
mistério
Fria é a faca que corta e fere
frio é o corte que sangra o quente
que corre em vertente
marcando a pele
na agonia latente de quem
sempre espera
exaspera
e sente
Quente...
teu corpo fremente
me estanca
me salva
me queima
me esgota
abaixo de zero...
me eleva, aquece e conforta
Num quarto crescente
coração é mistério
é reza que cessa
a alma doente.

Monica San

5 comentários:

  1. Moniquinha!
    Minha linda que saudade!
    de ler seus lindo poema e viajar nas veias do amor , do sentimento, da senssibilidade!
    Beijão minha poetisa favorita!

    ResponderExcluir
  2. amei adorei
    saudades

    ResponderExcluir
  3. saudades
    natalia amado

    ResponderExcluir
  4. Moniquinha!
    Passando pra conhecer teu blog! Lindo e bem montado!
    Seus versos... sobejam inspiração!
    Parabéns!
    Estou seguindo seu blog!

    bjs!

    ResponderExcluir
  5. Mariano, que bom ter vc por aqui...obrigada pela presença e pelo carinho meu amigo!

    Beijos!

    Natália querida, obrigada!

    beijos!

    Oi Diná, que bom que gostou. Obrigada por me acompanhar.

    beijos!

    ResponderExcluir

Respeite os direitos autorais